Notícias

Geração de emprego e renda: um panorama do impacto positivo do MEI na economia brasileira

A VPN is an essential component of IT security, whether you’re just starting a business or are already up and running. Most business interactions and transactions happen online and VPN

Você sabia que os Microempreendedores Individuais (MEI) geram um impacto positivo na economia brasileira injetando cerca de R$ 11 bilhões a cada mês, o que totaliza R$ 140 bilhões por ano?

Foi isso que apontou, por exemplo, a pesquisa do Atlas dos Pequenos Negócios, lançado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Outra pesquisa realizada pelo Sebrae em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV) apontou que, ao conquistarem a formalidade, os empreendedores aumentam sua renda entre 7% e 25%.

E os resultados da criação do MEI não se limitam apenas ao aspecto do desenvolvimento financeiro dos empreendedores, mas reverbera na criação de oportunidades, geração de empregos e na oferta de soluções que ampliam a qualidade de vida das pessoas.

Neste artigo, faremos uma análise do papel das microempresas no cenário econômico nacional para entender a importância dos pequenos negócios para o desenvolvimento do país.

Uma perspectiva sobre o empreendedorismo no brasil 

Os pequenos negócios têm sido um pilar de movimentação na economia brasileira, moldando um cenário onde a criatividade e a inovação se convertem em propulsores do desenvolvimento.

Com o mercado consumidor em expansão e uma forte cultura empreendedora, as micro e pequenas empresas já representam 30% do PIB brasileiro, também segundo dados do Atlas dos Pequenos Negócios. 

E os MEIs não geram apenas renda, também são catalisadores de oportunidades e empregos, oferecendo soluções adaptáveis às necessidades locais e impulsionando comunidades inteiras.

O crescimento do MEI na economia brasileira

Foi pensando justamente em apoiar esses empreendedores que o governo criou em 2008, por meio da Lei Complementar nº 128, o programa “Microempreendedor Individual” ou MEI. O objetivo era formalizar o trabalho de autônomos ou gestores de micro negócios proporcionando benefícios como: 

  • Tributação reduzida e simplificada;
  • Direitos previdenciários (aposentadoria, auxílio-doença, salário maternidade, dentre outros);
  • Oportunidade de participar de licitações públicas;
  • Emissão de nota fiscal facilitada.

Desde sua criação, o número de microempreendedores formalizados no Brasil tem crescido constantemente e chegou à soma de 13,2 milhões de MEIs em 2021, de acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). 

Esse crescimento deve-se, sobretudo, a uma estrutura fiscal mais simplificada que favorece a entrada de novos empreendedores no mercado.

O papel do MEI na geração de emprego e renda 

Uma das principais contribuições do MEI para o cenário econômico nacional é o combate à informalidade. Os empreendedores que antes exerciam suas atividades sem registro e sem acesso a direitos previdenciários, agora podem desfrutar de benefícios que só teriam se empregados no regime CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

Além disso, o MEI tem sido responsável por impulsionar a criação de novos postos de trabalho no país. 

Cerca de 70% dos empregos gerados este ano no Brasil estão nas micro e pequenas empresas, são quase 710 mil novos postos de trabalho segundo um levantamento do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).

Para além da criação de empregos diretos, os MEIs também contribuem para a geração de renda indireta por meio da compra de produtos e serviços provenientes de outras empresas, o que aumenta a demanda e acelera o movimento econômico do país.

Outra contribuição relevante dos MEIs é a inclusão social. A categoria permite que pessoas que não têm acesso à educação formal possam empreender e gerar sua própria renda, reduzindo os índices de pobreza e desigualdade.

Nesse sentido, a pesquisa “Perfil do MEI” revelou que 48% dos microempreendedores são pessoas que cursaram apenas o ensino médio, sendo que, dentre eles, 22% cursaram apenas o nível fundamental.

Desafios e perspectivas para o MEI no Brasil

Como é possível perceber, o MEI é um importante vetor do ambiente de negócios brasileiro e desempenha um papel fundamental na geração de emprego e renda para a economia. 

No entanto, os microempresários também enfrentam alguns desafios que precisam ser superados para que possam continuar a crescer e contribuir ainda mais para o desenvolvimento econômico do país.

Um desses desafios é a concorrência com empresas de maior porte e a falta de recursos e ferramentas técnicas que possam apoiar o plano de negócio dos MEIs em seus primeiros passos na jornada empreendedora, possibilitando a conquista de uma clientela capaz de manter a empresa ativa e lucrativa.

Além disso, o MEI também enfrenta desafios relacionados à capacitação empreendedora e a gestão de gastos, pois precisam de bagagem para desenvolver as habilidades necessárias para gerenciar um negócio de sucesso e tomar decisões estratégicas de forma eficaz.

Apesar desses desafios, o MEI representa um grande potencial de crescimento no Brasil. 

Afinal, estamos falando de um país em que a cultura empreendedora é forte e que conta com uma população jovem e dinâmica em busca de oportunidades para o seu crescimento.

Dentro desse contexto, o suporte contábil e fiscal é um alicerce indispensável para os empreendedores que optam pelo MEI. Conte com a bwise nessa jornada e gere frutos para o seu crescimento e para o desenvolvimento da economia brasileira!

Compartilhe o conteúdo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email
Share on whatsapp
Wellington Calobrizi

Wellington Calobrizi

Fundador na Calobrizi Holding

Comentários

Posts Recentes

Siga-nos

Assine a nossa newsletter

Este site usa cookies para melhorar a experiência de navegação Ao continuar, você nos dá permissão para implantar cookies de acordo com nossa Política e privacidade de cookies.